A EDUCAÇÃO FINANCEIRA SOB A PERSPECTIVA DA TEORIA DA ATITUDE: QUAL A PERCEPÇÃO DA GERAÇÃO Z?

Fabiana Gondim Mariutti, Angelica Schneider Rohling, Lucas Lautert Dezordi

Resumo


Trata-se de um estudo empírico, cujo objetivo é examinar o comportamento dos jovens perante a educação financeira fundamentando-se na teoria da atitude, em que seus três elementos constitutivos (cognitivo, afetivo e conativo) complementam o desenvolvimento do arcabouço teórico e metodológico do estudo. Para a pesquisa, adota-se a abordagem qualitativa de natureza exploratória, por meio de entrevistas (semiestruturada presencial) aplicadas em jovens de uma turma do terceiro ano do curso de Administração de uma universidade privada do estado do Paraná. Com base na análise de conteúdo, é verificado que apesar desses universitários possuírem interesse em relação ao conhecimento financeiro, observa-se falta de coesão comportamental entre diferenciadas intenções e ações. Como contribuição à literatura, reforça-se a importância de aliar o conhecimento financeiro ao entendimento da percepção dos jovens, contextualmente e temporalmente; na prática, recomenda-se a concepção de políticas públicas no âmbito educacional e social para impactos favoráveis de desenvolvimento econômico no Brasil.

Palavras-chave: educação financeira; alfabetização financeira; teoria da atitude; comportamento financeiro de brasileiros; geração Z