PRÁTICAS DE AUDITORIA INTERNA EM UMA ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR SOB AS PERSPECTIVAS DO COSO II

Priscila da Silva Máximo, Vera Lucia Cruz, Ramon Rodrigues dos Santos, Geraldo Joaquim da Silva Neto, Rodrigo José Guerra Leone

Resumo


Esta pesquisa teve por objetivo identificar práticas de auditoria interna sob as perspectivas do modelo COSO II em uma Entidade Fechada de Previdência Complementar (EFPC). Os dados foram tabulados e colocados de forma percentual de acordo com as respostas obtidas, em que 100% corresponde à frequência máxima. Os resultados destacam que os procedimentos de auditoria estão em conformidade de forma parcial com os oito componentes do COSO II, tendo em vista que foi constatado que alguns componentes (ambiente interno, fixação dos objetivos e atividades de controle) não se identificam em sua totalidade nas práticas de auditoria interna. O estudo concluiu que, há a necessidade de melhoria nos controles, tendo em vista o ramo de atividade que a entidade atua e o controle e gerenciamento dos recursos de terceiros que são responsáveis por guardar e investir, buscando garantir a aposentadoria dos participantes do plano.